terça-feira, 31 de agosto de 2010

Um sucesso relativo?!

Leia Mais…

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Uma terra eternamente adiada!

Leia Mais…

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Dúvidas escolares

Leia Mais…

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Verão total em Pereira

Leia Mais…

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

A cigarra e a formiga

A nossa visão política de Pereira.

Leia Mais…

domingo, 22 de agosto de 2010

Divulgação institucional


Já que as páginas "oficiais" e outras páginas públicas não fazem a devida divulgação, com a devida vénia à Grupo da Urbanização no facebook, aqui vai o nosso modesto compromisso!
Para concluir este post deixamos aqui parte de um mail que nos foi enviado:
"Só mais uma pequena achega para que serve o sitio da junta de freguesia?
Quanto custa a sua manutenção?"

Leia Mais…

sábado, 21 de agosto de 2010

Trânsito: a indisciplina continua


Mais uma vez trazemos à liça a rua Nossa Senhora do Pranto, no troço entre o seu início e a cortada para a Rua José Augusto Mendes dos Santos (Montes de Cima), cada vez mais transformada num local com um trânsito caótico, sem regras, sem qualquer tipo de civismo, típico das sociedades consumistas e comodistas.

Colocaram sinais luminosos nas passadeiras e apenas foi pintada uma.
Será que não sobrou nenhum litro de tinta daquela que pintou a túnel?

O que é certo é que se continua a assistir a um estacionamento selvagem, sem regras, descurando os passeios para os que se deslocam a pé, com os automobilistas a não deixarem as suas viaturas em locais apropriados, num sinal claro de desrespeito pelo próximo.

É certo que naquele troço existe uma diversidade de comércio e serviços que não pode ser ignorada, mas também ele (o comércio) pode sensibilizar os clientes e o poder político para que algo se faça para disciplinar o trânsito.

Deixamos um apelo em jeito de pergunta:

Quando é que o poder político, seja ele da nossa freguesia ou do nosso concelho, resolve este problema e com carácter de urgência?
Vão ficar à espera de que aconteça alguma tragédia naquele local?

Hoje somos condutores, amanhã somos peões!

Leia Mais…

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Perguntas à espera de respostas


A imagem acima bem podia ser algo parecida com o ideal que preconizamos como acesso à EBI de Pereira.

Como a actual situação está longe desse ideal, torna-se oportuno deixar aqui um conjunto de perguntas, que são a compilação de vários contributos que nos têm chegado acerca deste tema.

Como é que, tantos anos depois da sua construção, o troço de estrada que a liga esta Escola até à urbanização ainda não está dotado de iluminação pública?
Será possível?

Quando é que zona envolvente a esta escola sofre uma intervenção que dê outra dignidade ao meio envolvente?

Quando é que se disciplina o trânsito junto da entrada principal da escola?

Quando é que se criam zonas exclusivas para entrada e saída de alunos vindos dos transportes escolares?

Quando são colocados suportes para bicicletas?

Quando é que é encontrada uma solução para uma melhor e mais eficiente colocação dos contentores do lixo e eco pontos?

E a estrada até à urbanização?
Quando é que vê algum bocado de asfalto de que disfarce o seu mau estado?

Afinal: quem é que nos responde a todas estas questões?

Quem é que as resolve?

Para onde vão os nossos impostos?

As aulas começam daqui a meia dúzia de dias!

P.S. Ninguém da nossa equipa se recorda desta escola ter sido inaugurada oficialmente! Estaremos enganados?

Leia Mais…

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Festa do PSD de Pereira

Leia Mais…

terça-feira, 17 de agosto de 2010

A dor de cabeça

O nosso olhar, com base naquilo que se lê na na internet!

Leia Mais…

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Porque não uma rotunda na Praia Fluvial?

Muito se fala em questões de segurança, em termos de trânsito na Vila de Pereira.

Nesta zona sensível de Pereira, que é o acesso à Praia Fluvial, dado ao local em si e, também, por ser uma via de enorme tráfego automóvel, porque não construir ali uma rotunda?

Fica a ideia no exemplo na imagem acima.
Haja coragem de se fazer um estudo urgente sobre a sua criação, sobre a sua utilidade.

É quase certo que a segurança para os automobilistas e peões sairia extremamente reforçada e dava-se igualmente outra dignidade àquela zona, que pertence à Vila de Pereira!

É mínimo que se pode fazer naquela zona, seguido de uma limpeza das bermas da estrada desde essa zona até à rotunda da Percampo!

Já agora, a rotunda do Olival da Senhora merece ter outra apresentação, bem como a entrada de Pereira na zona da Ponte Paço.

Leia Mais…

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

A purga rosa

"22 militantes expulsos do Partido Socialista em Coimbra

O ponto 5 do artigo 94º dos estatutos do partido é claro nesta matéria. “Considera-se falta grave a que consiste em integrar ou apoiar expressamente listas contrárias à orientação definida pelos órgãos competentes do Partido, inclusivé nos actos eleitorais em que o PS não se faça representar”.

No mesmo artigo, mas no ponto anterior, é ainda dito que a aplicação de falta grave resulta na expulsão de militantes. Foi isto, precisamente, que aconteceu nas últimas autárquicas com 22 militantes das secções de Arganil, Figueira da Foz e Montemor-o-Velho.

Ao decidirem integrar listas contrárias à do partido, as estruturas locais participaram daqueles militantes junto da Comissão de Jurisdição da Federação Distrital de Coimbra. Dos processos disciplinares instaurados resultou a proposta de expulsão que, ao que tudo indica, já foi aprovada e confirmada pelas estruturas nacionais do partido.

José Manuel Ferreira da Silva, presidente da comissão, disse à Lusa que “os estatutos não deixam qualquer margem de manobra para a aplicação de outra medida que não a expulsão”.

Em Arganil, os casos reportam-se aos militantes da secção local que concorreram na lista de independentes liderada por Rui Silva (antigo presidente da câmara). Na Figueira da Foz, os militantes pertenceram à lista do movimento independente “Figueira 100 por Cento” (encabeçado por Daniel Santos) e integravam as secções de Buarcos, Tavarede e S. Julião.
Quanto a Montemor-o-Velho, os dois militantes da secção de Pereira fizeram parte da lista do PSD para a Junta de Freguesia local.

O responsável lembrou que “houve um ou dois casos em que se perdeu a competência disciplinar porque, entretanto, os militantes se desvincularam do PS”.

O líder da Federação Distrital de Coimbra do PS, Victor Baptista, sublinhou que “os estatutos do Partido Socialista são peremptórios, preveem claramente a expulsão dos militantes que concorram contra o partido”. “Lamento profundamente. O presidente da Federação e o secretariado não tiveram intervenção nenhuma no processo”, afirmou o deputado."

Fonte: http://www.asbeiras.pt/?p=2683

Adenda ao post: http://www.asbeiras.pt/?p=2683#comment-1453
Leiam o último comentário!
Simplesmente um must!

Leia Mais…

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Torneio de Futsal

Leia Mais…

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Decrépito

O brilho das festas de outros tempos, perdeu-se com o passar dos anos. Transformámo-nos, em termos sociais, numa terra decrépita.
Mas o que mais se poderia esperar?

O recinto destas festas esteve paredes meias com um envelhecido pavilhão, esquecido, ultrapassado, que ainda assim cumpriu a sua missão para festins de comida e pouco mais, numa demonstração de poder e consolidação social de meia dúzia – esta que foi a grande obra da sociedade civil em Pereira no pós 25 de Abril (quase única) - e hoje agoniza lentamente, longe dos anos dourados, longe dos anos do proteccionismo excessivo, cujas portas fechadas eram o exemplo maior – tal como hoje - sobertudo quando a malta queria jogar uma futebolada, nos largos meses das férias de verão, quando ainda a praia fluvial era uma mera ideia dos iluminados “donos” de Pereira, vendo-se a juventude subtraída desse prazer, tudo em nome de um espaço que a todo custo tinha de manter-se limpo, imaculado como um troféu.

Passados todos estes anos, longe de ter cumprido a missão, fala-se na sua reestruturação, na sua conversão numa piscina e ate os mais radicais defendem a sua demolição.

A acontecer qualquer uma destas situações, certamente, que para alguns restará apenas nas suas memórias os tempos de "proibição", para a preservação de um bem de elevado valor, cujo povo de Pereira ajudou a construir, na esperança, que foi quase sempre, vã de uma utilização em full time, transversal a toda a comunidade, sendo mais que um pavilhão desportivo, um verdadeiro multiusos.

Nestas festas vimo-lo -te triste, cinzento, rodeado de coroa de lixo, ervas, silvas.
Muito descuidado.

Nem um lifting lhe retira as rugas bem vincadas, fruto do sofrimento, do desleixo, da falta de manutenção, da falta de uso, da falta organização social, que levou a deixa-lo ali à mercê dos dias.

Arranjaram-lhe um mini-campo, não só para a sua consolação ou como uma ama de companhia na velhice, mas talvez para pedir desculpa aos pais e mães de muitos daqueles que durante os últimos vinte anos não utilizaram o pavilhão, por estar fechado, porque aquilo era uma relíquia e podia partir-se.
Não havia necessidade de chegar tão longe!

Também não se compreende porque é que todo aquele espaço envolvente ao pavilhão e ao campo sintético não sofreu, nos dias que antecederam às festas, uma profunda operação de limpeza!
Queremos dar uma imagem de modernidade, queremos captar sangue novo para as instituições, alteramos percursos tradicionais em função de novas solicitações (?) e na primeira oportunidade deitamos o lixo para debaixo do tapete.

Antes e após as festas, tornou-se mais clara, ainda mais conhecida, mais uma crise directiva, uma ida para o INATEL (impensável), e, por último, mais um encerramento do bar.

Sobre o fecho de portas sobre aquele espaço de convívio, que tem qualidade e que deveria ser federador de toda uma sociedade desavinda, há que deixar no ar algumas perguntas:

Alguém tem a coragem de explicar quais são ou quais foram as divergências, segundo aquilo que está vertido no comunicado afixado nos vidros daquele espaço, entre a empresa a quem o bar está concessionado e a Direcção da ADCR Pereira e que motivaram o encerramento daquele espaço?

Os sócios devem ter o direito a ser informados, com a maior celeridade possível, até para não deixar adensar outras versões, que por vezes minam a verdade.

No mesmo comunicado ao dizer-se “Com a ADCRP sempre”, pode deduzir-se que com este elenco directivo nunca mais?

Por muito que nos custe a admitir, deixamos no ar, pela enésima vez a pergunta:

Quo Vadis Pereira?

Leia Mais…

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Inatel ou AFC?

É necessário actualizar a página no facebook!

Leia Mais…

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

O campo sintético

Leiam este excerto na página da câmara:

"Depois de relembrar o passado e agradecer “o apoio de todas as entidades, atletas e os encarregados de educação, a direcção e a equipa técnica da escola de futebol”, Joaquim Silva, sublinhou que “o GDE um clube que passa os limites da freguesia e do concelho” e aproveitou o momento para reivindicar e aludir à importância da melhoria das condições do GDE, com a implementação de um campo sintético.
Na ocasião, o presidente da Câmara, Luís Leal, referiu que “há espaço para este desafio”, mas “atendo ao disposto na carta desportiva do município” e “a uma visão de futuro partilhada”, “as aspirações de desenvolvimento da instituição têm de passar por uma situação de co-responsabilidade de diferentes entidades”.

Leia Mais…